Cultura

A China é berço de uma das civilizações mais antigas no mundo com uma história de mais de 5 mil anos. Durante esse período, criaram-se diferentes costumes, arte, culinária, crenças e celebrações que ao longo do tempo foram se mesclando e desenvolvendo por toda vasta região que abriga as terras da China que conhecemos hoje.
As diferentes províncias e as 56 etnias diferentes, cada qual com suas tradições e manifestações, formam um variado, sofisticado e rico mosaico cultural. A mescla de culturas regionais resulta no que conhecemos em termos gerais como “cultura chinesa” manifestada em diversas formas.

Idioma
Quando nos referimos ao idioma “chinês”, nos referimos ao “mandarim” que é a língua oficial do país e idioma mais falado no mundo, com mais de 900 milhões de praticantes. Serve de língua mãe aos falantes de diferentes regiões, cada qual com seu dialeto local, de toda a China. Pela sua importância e alcance, é um dos seis idiomas oficiais da ONU.
Há centenas de dialetos falados por toda China agrupados por semelhança em 10 principais “grupos” que prevalecem em suas regiões geográficas. Além do Mandarim, há: Wu & Hui (região em torno de Xangai), Yue (Cantonês, região Guangdong e Hong Kong), Hakka & Min (região sudeste incluindo Fujian e Taiwan), Xiang (Hunan), Jin (Shanxi) e Gan (Jiangxi).

Cultura 1Mapa de Idiomas Chinês

Arquitetura
A arquitetura é dos pontos altos da civilização chinesa. Seus estilos respondem às características e necessidades regionais, modos de produção econômica, estrutura política e religiosa, hábitos cotidianos e padrões comportamentais.

Arquitetura antiga
Houve três períodos de grande destaque na história da antiga arquitetura chinesa: dinastias Qin e Han; Sui e Tang e Ming e Qing. Os caixilhos de madeira, as grandes coberturas e os pátios quadrangulares (Siheyuan), por exemplo, tornaram-se referências internacionais.

No norte do país, os chineses empregam uma estrutura de madeira e terra para resistir ao frio e ao vento; no sul da China, predominam o bambu e o junco, além da madeira e do barro. Em outras regiões, a estrutura de estacas para evitar a umidade e facilitar a circulação de ar. As pedras, por outro lado, são a principal matéria-prima nas montanhas.

Arquitetura moderna
Com o desenvolvimento da China, as construções de aeroportos, estádios, arranha-céus, teatros, residências e monumentos romperam gradualmente as concepções tradicionalistas e apareceram novas formas combinando estilos orientais e ocidentais. 

Nas principais metrópoles surgiram construções inovadoras mesclando estilos, desenvolvidos tanto por arquitetos locais como estrangeiros.  Prédios como Jin Mao e IFC, em Xangai, e CCTV e ninho do pássaro, em Beijing, e Guangzhou TV tower, em Guangzhou, simbolizam a grandiosidade e arrojo das edificações modernas da China.  Grandes nomes da arquitetura contemporânea incluem I.M. Pei e Wang Shu. 

Cultura 2Moderno e Clássico: Cidade Proibida, em Beijing, e Edifício do Bank Of China,
em Hong Kong, do arquiteto I. M. Pei
 

Filosofia e Religião
As “Cem escolas de Pensamento” representam um período (770 a.C a 220 a.C) de grande expansão do pensamento e conhecimento chinês.

Muitos dos conhecimentos desenvolvidos se juntaram aos trabalhos do pensador Confúcio (551-479 a.C) para formar juntamente com o Taoismo a base da filosofia chinesa tradicional. O confucionismo prega a justiça, tradicionalismo, respeito a autoridade e valoriza a busca pelo conhecimento. Enquanto o Taoismo, também considerado uma religião, busca o equilíbrio do ser humano com os elementos e a natureza, sempre valorizando a harmonia e paz interior através da compaixão, humildade e simplicidade.

Uma grande variedade de religiões é praticada na China desde o início de sua história. Os templos de várias crenças diferentes pontilham a paisagem da China. Apesar da proibição e restrição a religião durante o início do período Comunista, hoje elas florescem com a anuência supervisionada do governo. Mais da metade da população é atéia ou agnóstica (53%) masoTaoismo (30%), Budismo (11%), Cristianismo (4%) e Islã (2%) são as principais religiões do país.

Cultura 03Templo dos Céus

Superstições
Os chineses são muito supersticiosos. Como o 13 no ocidente, o 4 é o número do azar. Isso porque o som da palavra “4” é parecido com o da palavra “morte”. Isso afeta tanto, que há prédios sem os andares 4, 14, 24 (e outros que terminam em 4) e números de celular terminados em 4 ou com muitos 4 chegam a custar menos por conta disso. 
Já o número 8 tem o som que se assemelha ao de “prosperidade”. Não à toa que os jogos Olímpicos de Pequim começaram no dia 8 de agosto de 2008, às 8:08 da noite, e números de telefone com 8 são mais procurados...

Nos telhados de casas e palácios, têm-se animais enfileirados para cuidado e proteção dos prédios e dos moradores consequentemente. A figura do dragão traz boa sorte - ele pode ser visto em casas, embarcações, jardins, muros e amuletos. Já os grandes leões, têm o objetivo de assustar os maus espíritos e impedir que entrem nas áreas dos palácios, assim como os espelhos (refletindo as energias negativas) que são postos nas portas de entrada.

Há, ainda, superstições associadas a gestos, palavras e cores. Presentear com relógios ou objetos cortantes pode ser interpretado como um fim ou corte de relações. E o branco é considerado como a cor de luto, já o vermelho é como a cor da sorte...

Cultura 04

Gastronomia
Apesar de estar presente no mundo todo com restaurantes de imigrantes e redes de comida expressa, a gastronomia chinesa é uma arte exótica para os padrões ocidentais.  Reconhecida como uma das mais sofisticadas e saborosas culinárias do mundo, come-se praticamente de tudo, com muitas iguarias vistas sob desconfiança pelos estrangeiros. Porém, muitos dos ingredientes para o dia a dia são os mesmos, mudando apenas a forma de preparo e os temperos.  Arroz, massa, e carnes populares como porco, peixes, frango e de pato.

As refeições são quase sempre acompanhadas de tigelas com o famoso arroz branco e o auxílio dos famosos “palitinhos” - práticos e simples de manusear.  Os líquidos como sopas e cozidos, são consumidos com uma colher larga e plana.  Sendo assim, a maioria das refeições são preparadas com pratos variados em pedaços pequenos e em porções, prontos para serem compartilhados.

As refeições, em maior número de pessoas, são normalmente em uma mesa redonda com diversos pratos, servidos em sequência e compartilhados.  Sempre acompanhados de chás e, dependendo da ocasião, do forte vinho de arroz local “baijiu” para brindar.

Ao contrário do que vemos em restaurantes chineses do ocidente, não existem “biscoitinhos da sorte” na China.  Para sobremesa os chineses normalmente degustam um prato de frutas.

Por causa da extensão e diversidade étnica-cultural do país, a culinária chinesa pode ser dividida em muitos estilos regionais. Com uma variedade de ingredientes encontra-se desde os mais apimentados aos agridoces; de frutos do mar a carnes exóticas; legumes de todo tipo e uma infinidade de temperos.  Além disso, mudam-se as formas de preparo. Comidas são grelhadas, cozidas, ensopadas, fritas, assadas e cruas, variando dependendo do local. A sofisticação das culinárias chinesas forma literalmente um “caldeirão” de sabores. 

Cultura 05Banquete chinês

Também usa-se uma infinidade de ingredientes naturais, muitos com fins medicinais, alimentos e chás e práticas que resultaram na milenar medicina tradicional chinesa.

Medicina Chinesa
A Medicina Tradicional Chinesa (MTC), também conhecida como Medicina Chinesa é a denominação dada ao conjunto de práticas desenvolvidas ao longo dos milhares de anos. Desenvolvendo conceitos para a saúde do corpo baseada na busca da harmonia e equilíbrio energético, a MTC tem atraído muitos adeptos estrangeiros, inclusive. Valendo-se também da reflexologia e interconectividade de pontos sensíveis diretamente funcionamento dos órgãos, os tratamentos buscam curas holísticas e mais naturais.

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, a MTC é eficaz em patologias tais como: asma, hipertensão arterial, diabetes, obesidade, insônias, alcoolismo, depressão, cefaléias, tabagismo, gripe, entre outros.

O diagnóstico inclui exame dos pulsos, exame da língua e um diálogo a fim de esclarecer os sintomas e causas presentes (tendo em conta também o contexto social do paciente). O tratamento é prescrevido numa perspectiva de integração das várias técnicas de MTC: acupuntura, fisioterapia, massagem, ventosas e de dieta. Pode acontecer também que lhe seja recomendado iniciar uma prática pessoal de Ginástica Energética e meditação.

Há diversos centros de pesquisa e estudo dedicados a MTC e vem ganhando espaço e influência no ocidente nas últimas décadas. Com isso, a indústria de produtos e medicamentos chineses e seus ingredientes exóticos têm visto uma demanda cada vez maior.

Cultura 06Farmacêutico da Medicina Tradicional Chinesa

Música da China
Desde os tempos antigos, houve uma grande mudança na música chinesa devido às influências de doutrinas religiosas, filosóficas e ideológicas. A música chinesa também é considerada uma rica herança, pois ao mesmo tempo em que evolui para uma forma mais contemporânea, alguns instrumentos tradicionais são mantidos, como vários tipos de flauta, o sheng, o gongo, sinos e o erhu.

Cinema
A origem do cinema chinês se deu no início do século XX, sendo o primeiro filme realizado em 1905, o qual consiste em uma gravação da Ópera de Pequim. “O romance de um vendedor de frutas” (de Shichuan Zhang, 1922) é o filme mais antigo ainda conservado. Na década de 20, a indústria cinematográfica chinesa começou a desenvolver-se, sobretudo na cidade de Xangai.

As primeiras películas que ganharam notoriedade foram produzidas na década de 30, com o aparecimento de idéias comunistas. Com a Revolução Cultural na década de 60 mais a paralisação do progresso material e tecnológico do país, o cinema chinês atrofiou e se tornou pouco expressivo.  Exceção feita a Hong Kong, que desenvolveu uma indústria cinematográfica robusta e produzia filmes de artes marciais e ação, revelando ao mundo grandes astros como Bruce Lee, Jackie Chan e Jet Li.

Com a reabertura da Academia de Cinema de Pequim, na década de 80, formou-se a primeira turma de jovens cineastas chineses como Zhang Yimou, He Ping e Chen Kaige, que na década de 90 voltaram a colocar o cinema chinês no mapa em grande estilo, dando origem ao Novo Cinema Chinês.

Na década de 2000, continuando esse ressurgimento, uma nova geração de cineastas e atores chineses, que estrelaram produções chinesas com destaque até em Hollywood ganhando Oscars como "O Tigre e o Dragão". Essas produções além de manter a qualidade da geração anterior, experimentou novas formas estéticas que acabaram pondo o cinema chinês como um marco vanguardista.

BLBruce Lee

Arte 
A milenar arte chinesa é marcada bela beleza e delicadeza de seus traços e perfeccionismo presente nos suaves detalhes. Atravessando longos períodos durante as dinastias, a arte chinesa desenvolveu estilos elaborados e cuidadosamente praticados. Foram produzidas obras fantásticas, algumas sobrevivem até hoje. Muitas peças inclusive seriam incorporadas no dia a dia, principalmente da nobreza e da corte imperial.

Pinturas, vasos, jóias, esculturas e até utensílios domésticos foram criados através dos mais variados materiais através de refinadas técnicas em jade, porcelana, madeira, papel, metais e até seda. Os temas também são alguns exemplos da diversidade das coleções. Pintores destacam, em suas telas, as belezas naturais como paisagens, animais e aspectos mitológicos e divinos. Outros retratam a história e a glória militar, como os famosos guerreiros de terracota em Xian. 

Com o tempo e as sucessivas guerras, invasões e revoluções, muitos desses tesouros se perderam, destruídos e roubados. Hoje há um esforço dedicado a recuperar e reunir muito do que foi danificado e dispersado, de volta aos acervos dos grandes museus que a China possui hoje em dia, como o Shanghai Museum em Xangai Entretanto, há também uma forte produção contemporânea. Depois de muito tempo restrita devido a censura e dificuldade econômica, o mercado de arte na China vem ocupando um espaço cada vez maior, crescendo mais até que a economia. Com isso, diversos artistas emergiram no cenário chinês nas últimas décadas, e hoje em dia suas obras são reconhecidas mundialmente e vendidas por milhões de dólares. 

A antiga fábrica “798” que produzia eletrônicos nos arredores de Beijing, se tornou um espaço moderno que abriga atividades de alto nível cultural, artístico e comercial em Dashanzi Art District, centro de Beijing. Reúne arte contemporânea, arquitetura e um estilo de vida urbano. A partir de 2002, artistas e organizações culturais começaram a dividir, alugar, e retornar os espaços da fábrica transformando-os em galerias, centros de arte, estúdios de artistas, empresas de design, restaurantes e bares.

Cultura 07Pintura do artista Zhang Zeduan retratando Bianglinga, capital do Império da Dinastia Son


Artes Performáticas
A China reúne alguns dos números mais famosos no mundo das artes performáticas. 

A Ópera de Pequim é uma forma de teatro chinês tradicional que combina música, performance vocal, mímica, dança e acrobacia ao apresentar feitos históricos e lendas populares. Ela surgiu nos anos fins do século XVIII e tornou-se plenamente desenvolvida e reconhecida em meados do século XIX. O formato ficou extremamente popular na corte da Dinastia Qing e se tornou considerada como um dos tesouros culturais da China. 

A ópera foi sempre um espetáculo muito popular, tanto entre o povo chinês como entre os nobres e imperadores. Na elaboração dos argumentos e da música participaram escritores e aristocratas. Os imperadores da dinastia Tang, Hsuan Tsung (712-755) e Chuang Tsung (923-925), são considerados pais honoríficos da Ópera de Pequim devido ao apoio dado a esta arte.

Os grupos acrobáticos chineses também encantam platéias do mundo todo, com suas plasticidade e números incríveis. Exibindo equilíbrio, contorcionismo, agilidade e destreza inimagináveis as trupes chinesas são referência nas artes performáticas.

Cultura 08Show de acrobacia chinesa

Artes Marciais
O Kung-Fu nasceu da necessidade de sobrevivência dos antepassados na luta contra animais ferozes e contra inimigos. Esta arte marcial milenar vem orientando as pessoas, bem como ajudando os jovens a se direcionarem em disciplina, respeito com os colegas. De um modo geral, estrutura o corpo físico, em combinação com a mente, extravasando as ansiedades, angústias e estresses acumulados no dia a dia, fortalecendo-os. O Kung-Fu pode ser praticado por adultos e crianças de ambos os sexos.

Benefícios

  • Controle Físico: desenvolvimento da coordenação motora, força, resistência flexibilidade, velocidade, ritmo, auxiliando no crescimento e ainda controle do aumento e diminuição do peso;
  • Controle Emocional e Mental: proporciona maior segurança, tranquilidade e controle das ações, desenvolvimento do raciocínio, os reflexos, maior atenção e concentração mental;
  • Defesa Pessoal: muito rico em técnicas de defesas diversas, incluindo variadas técnicas de ataque que por sua vez só deverá ser usada, em último recurso.

O Tai Chi Chuan foi criado originalmente como um método de auto defesa por sacerdotes taoístas por volta do século XII. Seu objetivo é buscar a união da força com a suavidade, do corpo com o espírito e promover a interação do homem com a natureza. O Tai Chi Chuan também pode ser praticado por pessoas de qualquer idade, ele é considerado uma aeróbica de baixo impacto, sem riscos de lesões e sem contra indicações.

Benefícios

  • Atua sobre todos os sistemas orgânicos do corpo;
  • Regula as funções cardiovascular, respiratória, digestiva e hormonal;
  • Minimiza patologias articulares;
  • Melhora a orientação espacial e o equilíbrio;
  • Aumenta a flexibilidade e a força muscular;
  • Reduz a ansiedade e o estresse físico e emocional.

TCC
Tai Chi praticado no Bund de Shanghai

 

Mais nesta categoria: « História Esportes »