Para abrir caminho à renovação

* Originalmente publicado na versão on line do jornal O Globo, concedido pelo empresário Roberto Teixeira da Costa

Acesso: https://oglobo.globo.com/opiniao/para-abrir-caminho-renovacao-21945354


 

 

Para abrir caminho à renovação 

 

Pelo Brasil se espalham campanhas meritórias que buscam atrair novas gerações à política.

Esse movimento de renovação é altamente prioritário para a democracia brasileira

 

por Roberto Teixeira da Costa

 

Nos últimos 12 meses tive oportunidade, aqui e no exterior (Universidade de Harvard), de assistir a dois encontros patrocinados pela Lemann Fellows (do empresário Jorge Paulo Lemann), em que o mote foi despertar o interesse dos jovens pela política e a vida pública.

Ao Encontro Anual de Líderes da Fundação Lemann 2017, realizado em Itapeva (MG) nos dias 4 e 5 de agosto, estiveram presentes mais de 300 estudantes de todo Brasil. Jorge Paulo foi bastante enfático em sua fala, ao provocá-los para uma maior imersão na política. Inclusive indagando quantos estariam motivados a se preparar para algum dia chegar à Presidência da República. Aliás, não é a primeira vez que isso acontece, e três jovens com menos de 30 anos responderam afirmativamente e tiveram que indicar em cinco minutos quais seriam os temas principais de seu trabalho.

Pelo Brasil se espalham outras campanhas meritórias que buscam atrair as novas gerações à vida política. Esse movimento de renovação é altamente prioritário para a democracia brasileira, onde está a solução! Não adianta ficarmos nos queixando da qualidade dos políticos que nos representam em Brasília se não tomamos iniciativa e nos empenhamos, aqueles como eu com cabelos brancos, no sentido de levar sangue novo para Brasília.

Reconheço que o custo de uma campanha é elevado, mas vários grupos estão buscando colaborar para mitigar os gastos. Temos que trabalhar para que esse acesso seja viabilizado.

Texto publicado no GLOBO dia 9 não poderia deixar de ser mais claro. A pesquisa apresentada demonstra claramente a desconfiança que recai sobre os políticos, e é muito importante o pleno reconhecimento de que devemos buscar pelos canais democráticos a saída para essa crise. Naquela pesquisa, quase um terço dos entrevistados indicou sua intenção de apoiar um candidato novo fora da política tradicional.

Durante sua recente presença em São Paulo, o ex-presidente Obama deu grande ênfase ao seu instituto localizado em Chicago. Em reunião com 11 jovens brasileiros que desenvolvem projetos na área de educação, igualdade racial, mudança climática e diminuição da desigualdade, lembrou o papel da fundação, que tem a preocupação de formar uma nova geração de líderes jovens, inteligentes e inovadores, dispostos a assumir riscos e a mudar o mundo. Pode parecer excessivamente otimista, mas, se não pensarmos grande, não poderemos ter resultados compatíveis com nossas necessidades.

Se cada um de nós buscarmos apoiar aqueles que tenham disposição de aceitar esse desafio, estaremos dando nossa contribuição. O apoio não deve ser exclusivamente financeiro. Atuar como mentor com experiências vividas em diferentes áreas da vida profissional de cada um de nós poderá ser extremamente valioso.

Não adianta ficar se lamentando. Como o Papa Francisco afirmou, ao colocar um sua porta residencial um cartaz: “Vietato lamentarsi”.

Vamos trabalhar de forma conjunta e ordenada para reverter essa situação. Se cada um de nós fizer a sua parte e dermos a contribuição que estiver ao nosso alcance, certamente os resultados virão.

Roberto Teixeira da Costa é empresário